4, fevereiro 2023 - sábado

A editora da Conscienciologia.

Manual detalha fluxos e procedimentos da editoração

Autor: Rosane Amadori

Para consolidar práticas e processos assertivos da gestão e do fluxo editorial de obras conscienciológicas, a editora lançou o Manual de Publicações da Editares. O propósito da obra é a compilação dos procedimentos já experimentados, com a finalidade de contribuir com futuros gestores, voluntários e autores.

Organizado pela coordenadora, Lane Galdino, o manual teve participação de 15 voluntários da instituição, motivados em deixar grafada a tarefa interassistencial de amparo à materialização de gescons.

A obra começa pelo histórico da Editares, fundada em 23.10.2004, expõe a política editorial, as fontes de sustentabilidade da instituição, o histórico de publicações e o fluxo editorial. Mostra de maneira didática o caminho percorrido na editora desde a recepção dos originais até a publicação.

O manual também descreve em detalhes o trabalho do Conselho Editorial, formalizado no início de 2020. A parte final foi reservada para mostrar a estrutura para publicação de um livro, contemplando elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais. Ao final, a publicação traz como gift o ‘modelo de livro’, no qual o autor pode visualizar previamente como ficará a obra após a editoração.

Por Lane Galdino

  1. Quais foram as principais percepções, intra e extrafísicas, durante a pesquisa e a escrita da obra? E posterior ao lançamento?

Percebeu-se o aporte dos amparadores de função da editora, motivadores da escrita e conclusão da obra. Foi possível identificar a valorização do trabalho para a formalização dos procedimentos e a gratidão pelo legado deixado para conscins e consciexes afinizadas às temáticas relacionadas à Editoriologia e Publicaciologia. Após o lançamento, presenciamos neoautores lançando mão das instruções trazidas no Manual de Publicações ao modo de guia para a organização do próprio livro antes de entregar para a editora.

  1. Qual o maior aprendizado com a escrita desta obra?

A constatação da presença indubitável dos amparadores reafirmando diuturnamente a importância do trabalho de editoração tarística.

Matéria publicada na Revista Gescons n°4, referente à gestão 2021/22.